Motor

Motor 1.0 turbo: potência e consumo em um popular com cara de esportivo

Publicado em 26/04/2019 por Redação

Você conhece alguma tecnologia voltada para motores de carros de passeio capaz de agregar variáveis distintas, como potência, eficiência energética, durabilidade e menor emissão de poluentes? Não, não estamos falando de caríssimos veículos de luxo, construídos com equipamentos de ponta, mas sim do bom e velho conhecido do brasileiro: o modelo 1.0. E não é para menos, já que um detalhe passou a fazer total diferença nessa categoria: a opção do motor turbo.

Sim! Estamos falando de uma verdadeira (r)evolução no conceito de automóveis “básicos”, voltados para a grande maioria dos consumidores brasileiros. Mas será que estamos assistindo a uma mudança no padrão do carro popular no Brasil? Um novo paradigma que eleva o patamar sobre o que é conhecido e comercializado como modelo 1.0?

Marcellus Leitão, jornalista e consultor especializado em automóveis, diz que o 1.0 turbo é um motor extremamente compacto, leve – feito em liga de alumínio – e desenhado para funcionar com o menor atrito possível. “Este conjunto, aliado a pneus de baixa resistência à rolagem, aerodinâmica aprimorada e pesos menores do conjunto, faz um carro mais eficiente”, avalia.

Reforçando essa visão, o editor do caderno “Autos”, do jornal Correio (Salvador, Bahia), Antonio Meira, conta que o 1.0 turbo é um motor com bom rendimento, baixo consumo e uma ótima opção em relação aos seus concorrentes diretos. Segundo ele, uma das vantagens oferecidas pelo 1.0 turbo é o torque, “que é o que o consumidor mais utiliza no trânsito urbano”, lembra.

Motor com três cilindros

Para o especialista em combustíveis da Raízen (licenciada da marca Shell no Brasil), Gilberto Pose, uma das características da contemporaneidade dos motores 1.0 turbo é a sua produção com três cilindros – em vez dos quatro originais – e turbo compressor para restauração de potência “perdida” pela retirada de uma dessas peças. “É um motor muito durável, pois vem de lançamentos de sucesso, principalmente na Europa, onde foi exaustivamente testado. Possui reforços internos, como pistões, bronzinas, etc., para suportar pressões maiores na câmara de combustão em função do trabalho do turbo”, ressalta Pose.

Segundo ele, o 1.0 turbo propicia respostas mais rápidas e firmes do motor, aproximando o seu desempenho ao de motores com maior cilindrada. Isso o torna um concorrente forte no mercado brasileiro. “No sentido de potência, desempenho e economia, o 1.0 turbo pode alcançar níveis semelhantes aos dos motores 1.4 e 1.6”, afirma.

O que pesa na hora da escolha?

Nesse sentido, de que maneira o consumidor brasileiro pode ser convencido a investir em um carro 1.0 turbo, em vez de veículos equipados com motores 1.4 ou 1.6, caso ele esteja em dúvida a respeito de qual modelo adquirir? Conforme destaca Pose, fatores associados a consumo, desempenho e confiabilidade na durabilidade do motor podem contribuir para a maior aceitação do motor 1.0 turbo entre os consumidores.

Marcellus Leitão também aponta outras qualidades do motor 1.0 turbinado em relação aos seus principais concorrentes de maior cilindrada. “O 1.0 tem rendimento superior a esses motores por ter menos massa e inércia”. Entretanto, ele faz duas recomendações que podem ser decisivas na escolha do veículo: “o consumidor deve fazer um test drive e consultar seu corretor de seguros, uma vez que o preço do prêmio pode ser mais elevado em função de um conceito já superado: o de que carros turbo são feitos para correr mais”.

Migração para o turbo com menos emissões de poluentes

O apelo ambiental e os anseio de uma sociedade sustentável também estão presentes nos modelos de motores 1.0 turbinados, uma vez que tal tecnologia visa a atender um público consumidor que busca nesses tipos de motor variáveis como desempenho e tecnologias avançadas, que resultam em menores emissões de poluentes pelo sistema de escapamento. Isso reduz emissões de CO2, colaborando com os esforços da indústria automobilística para as ações de transição da sociedade global para um ambiente de baixo carbono. “Nessa tecnologia, temos uma queima mais otimizada pela presença do turbo e da injeção direta associadas à redução de um cilindro, o que diminui o consumo e as emissões de poluentes”, acentua o especialista da Raízen.

Na sua visão, o desenvolvimento tecnológico que vem sendo experimentado pelas fábricas de motores e montadoras também está sendo acompanhado, em igual passo, pela qualidade dos combustíveis oferecidos no país. “A gasolina brasileira evoluiu muito nos últimos 20 anos. Estamos bastante alinhados com a qualidade do combustível europeu e americano”, lembra Pose.

Ao vislumbrar tendências para o mercado dos motores turbo nos carros de passeio, ele acredita que não apenas o 1.0 turbo pode ser considerado um novo paradigma no mercado de automóveis de passeio brasileiro. “Em motorizações 1.4, 1.6, ou acima, creio que teremos cada vez mais a entrada do turbo compressor como forma de trazer maior desempenho sem penalizar o consumo de combustível”, assinala.

Para Antonio Meira, a migração para os motores turbinados será uma “transição natural” entre os consumidores brasileiros, que não necessariamente optarão pelo modelo 1.0. “Observe que a Volkswagen, por exemplo, prefere utilizar o motor 200 TSI em vez do 1.0 turbo”, analisa.

A despeito dos primeiros carros turbinados estarem sendo ofertados em versões compactas, Pose acredita que modelos com maior capacidade interna, como sedans, possam despertar novos e maiores interesses nos consumidores brasileiros. Segundo o especialista, o gradativo movimento de oferta de automóveis equipados com motor 1.0 turbo também será um estímulo à popularização desses modelos. “A crescente presença desses motores nas cidades brasileiras tende a encorajar sua aquisição”, prevê.

Se estiver pensando em adquirir um modelo equipado com motor 1.0 turbo, o consumidor deve levar em consideração variáveis como preço, potência e consumo. Veja aqui um comparativo.

TestDrive: Hyundai HB20, Volkswagen Up! TSI e Golf TSI

Ainda está em dúvida se vai investir num carro nacional equipado com motor 1.0 turbo? Veja aqui algumas impressões que Marcellus Leitão, nosso especialista em automóveis, teve ao fazer um test drive em três modelos de carro 1.0 com motor turbinado: o Hyundai HB20, Volkswagen Up! TSI, e o Golf TSI.

“O motor 1.0 turbo realmente veio para ficar!. É uma tecnologia que ajuda a reduzir o consumo e as emissões, mantendo as potências. Todos os três carros que testei surpreendem pela elasticidade dos motores: levíssimos, em alumínio, esses modernos propulsores reúnem os conceitos mais atuais de construção, tendo muitas coisas em comum, como as dimensões, por exemplo. Com apenas três cilindros e cerca de um palmo de comprimento, buscam a menor massa possível com bom rendimento e, assim, usam alternadores que ligam quando a bateria ‘avisa’ que precisa de energia, bombas de óleo e de água, também sob demanda, comando de válvulas com rolamentos, etc. Na construção da carroceria, os três são feitos de aços leves prensados a quente. Os pneus usam tecnologia de baixa resistência ao rolamento, com o uso de sílica e uma aerodinâmica radical.”

Vamos aos testes:

Hyundai HB20:

Potência: 105 HP a 6.000 rpm
Velocidade máxima: 182 km/h
Motor: 1.0 l 3 cilindros em linha
Tanque de combustível: 50 L

“Foi interessante pelo ambiente, o autódromo de Interlagos, em São Paulo, onde pude testar o modelo no limite e comprovar dados de aceleração e retomada surpreendentes para um 1.0.” O motor leva o baixo atrito ao limite, com tratamento especial nos pistões e válvulas e óleo ultrafino.”

Volkswagen up! TSI

Potência: 105 HP
Velocidade máxima: 183 km/h
Motor: 1.0 l 3 cilindros em linha
Peso: 987 kg
Tanque de combustível: 50 L

“Dirigi esse modelo no perímetro urbano e em rodovias. O carro acrescentou respostas durante o uso nas vias urbanas, com variações de rotação contínuas e também em ultrapassagens. Constatei que o consumo de combustível foi mais baixo. Se o consumidor tiver interesse em saber mais sobre a tecnologia utilizada nesse modelo do Up!, vale a pena pesquisar sobre a sua turbina: o rotor frio dela é pouco maior que uma moeda de um real!”

Volkswagen Golf TSI

Potência: 125 HP a 5.500 rpm
Motor: 1.0 l 3 cilindros em linha
Peso: 1.218 kg
Tanque de combustível: 50 L

“O Golf TSI usa o mesmo motor do Up!, recalibrado. Na pista, a sensação ao dirigir é surpreendente! A baixa inércia faz o carro ganhar velocidade como se fosse uma motocicleta. As saídas de sinal são ágeis e as retomadas, empolgantes! O turbo fez toda a diferença nesse médio 1.0.”