Motor

O hábito de andar sempre na reserva é prejudicial ao veículo?

Publicado em 18/10/2019 por Antonio Carlos Teixeira

O que para muitos motoristas é um sinal de alerta, para outros, a luz da reserva acesa não é algo preocupante. Será? Afinal de contas, o hábito de sempre andar com pouco combustível é prejudicial para o carro, ou não? O Combustível Legal ouviu dois especialistas no assunto para tirar todas essas dúvidas: Daniel Vasco, gerente de Assistência Técnica do Grupo PSA; e Ricardo Abe, gerente Sênior de Engenharia de Produto da Nissan do Brasil.

Risco de superaquecimento da bomba

Para Daniel Vasco, não há dúvida de que o hábito de andar com o carro sempre com pouco combustível é prejudicial ao veículo. Segundo ele, o combustível, além de lubrificar a bomba, também é responsável por arrefecê-la. “Ao rodar com tanque quase vazio, a troca térmica entre os elementos internos da bomba e o combustível ocorre de forma deficiente, superaquecendo a peça, sobretudo, se esta for do tipo elétrica, podendo provocar, até mesmo, sua fusão, resultando na parada total de funcionamento”, alerta.

Além de o motor deixar de funcionar, o gerente aponta que outras peças, ou funções, podem ser afetadas pela parada de funcionamento da bomba de combustível. “danos Em caso de defeitos ligados à baixa pressão, ou vazão na bomba, pode ocorrer nos injetores de combustível, catalisador do escapamento, ou, até mesmo nos casos mais severos, dos elementos internos do motor, como pistões, bielas e válvulas”, enumera.

Evite dores de cabeça com a pane seca

Ricardo Abe destaca que andar com pouco combustível no tanque não é uma prática recomendada, pois pode ocorrer a temida pane seca e os ocupantes ficarem literalmente no meio do caminho, não conseguindo chegar aos seus destinos. Independente da causa, a penalidade para quem enguiça por falta de combustível pesa no bolso e na carteira de motorista, já que nesse caso, segundo o artigo 180 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), a multa é de R$130,00. A infração, considerada média, gera quatro pontos na CNH (Deu a temida pane seca? Saiba o que fazer nessa situação)

Para Vasco, a pane seca é o principal risco para o veículo, caso esse hábito seja adotado pelo proprietário do carro. Na sua avaliação, se o combustível presente no tanque não chegar ao motor, “este, naturalmente, terá o funcionamento interrompido.”

Abe lembra, ainda, que a pane seca poderá causar falhas no sistema de combustível e no motor, danificando o catalisador, dispositivo de controle de emissões instalado no sistema de escape. Ele observa que não há uma recomendação das montadoras com relação à quantidade mínima de combustível no tanque para rodar com o carro. Entretanto, fica a dica: “ao acender a reserva, recomenda-se o reabastecimento para evitar a pane seca do sistema”, orienta.

Para evitar o risco de parada no funcionamento da bomba de combustível, o ideal, ressalta Daniel Vasco, é que o condutor abasteça o veículo assim que o marcador atingir o nível de reserva do tanque, que geralmente é sinalizado por uma faixa vermelha na escala do marcador, ou em outros veículos pelo acendimento de uma luz de alerta, geralmente de cor amarela. “Uma mensagem pode ser exibida em displays presentes no painel, na central multimídia ou no computador de bordo, alertando para o baixo nível de combustível”, atenta.

Outra situação que pode gerar riscos para o veículo – e que igualmente merece toda a atenção do proprietário do carro – é a continuação do abastecimento do tanque após o travamento automático da bomba do posto.

“O combustível em excesso pode ser sugado pelo canister e danificar o filtro de carvão ativado, que faz parte deste sistema, ou vazar, causando o risco de incêndio e dano ao veículo, ou a terceiros”, alerta Abe. O especialista da Nissan do Brasil observa, também, que na hipótese de detecção de uma falha no sistema de controle de emissões, decorrente da falta de combustível, uma luz de advertência alertará o proprietário. “Caso após o reabastecimento a advertência permanecer, é necessário que o veículo seja inspecionado em uma concessionária autorizada”, orienta.

Boas práticas e profissionais de confiança

Sendo assim, andar com o carro com o tanque longe da reserva é uma boa prática que ajudará na vida útil da bomba do seu veículo.

O ideal é que os proprietários evitem a ocorrência da pane seca e sempre estejam atentos ao nível do combustível no tanque do veículo e que, em caso de emergência, procurem uma concessionária, profissional ou posto abastecimento de confiança.

O gerente do Grupo PSA orienta que, caso ocorra algum problema com o carro decorrente do hábito de andar com pouco combustível, o proprietário deve procurar uma concessionária, ou oficina de sua confiança, para o diagnóstico e reparação do veículo.

E lembre-se, quando abastecer, procure postos que forneçam combustível de qualidade e exija sempre a nota fiscal.

Veja também: