Motor

‘Águas de Março’: saiba como encarar o período das chuvas com segurança

Publicado em 06/03/2020 por Andre Lunes

O forte temporal que atingiu no começo de março o Rio de Janeiro deixou diversos bairros e municípios ilhados. O caos se instalou em diferentes áreas e as zonas Norte e Oeste, importantes corredores de tráfego, foram as mais impactadas. Outras cidades brasileiras, como São Paulo e Belo Horizonte, passaram recentemente pelo mesmo problema devido às fortes chuvas. Nesse contexto, é preciso lembrar que março e abril são meses considerados críticos com relação às enchentes e que no quesito alagamento de ruas e avenidas, todo cuidado é pouco, seja para preservar a sua segurança, ou a do seu veículo e passageiros. Para entender o que fazer (ou não fazer) nessas situações, o Combustível Legal levantou dicas e informações importantes que podem ser úteis nesse período do ano.

Antes de mais nada, muito melhor do que encarar um problema é poder evitá-lo. Sendo assim, um bom aliado para fugir das enchentes é fazer uso da tecnologia. Atualmente, existem alguns aplicativos para celular que informam sobre a possibilidade de chuva, ou de tempestade, na localização exata onde a pessoa está. Um bom exemplo é o Wunderground, que mostra em tempo real as nuvens de chuva, bem como a sua intensidade e para onde ela está se deslocando em um mapa interativo. Outra opção é cadastrar o seu número de celular para receber alertas via SMS, que são emitidos pelos órgãos de segurança de sua cidade, como a Defesa Civil, por exemplo, ou qualquer outro que tenha essa finalidade (confira a disponibilidade do serviço em sua região). Assim, suas chances de prever enchentes e evitar problemas aumentam de forma significativa.

Enfrentando uma enchente

Se mesmo assim você encarou um alagamento com o seu veículo, vamos às orientações. A primeira delas é com relação à segurança. Em caso de inundação, busque por um local seguro e alto, podendo ser um estacionamento de shopping, por exemplo, ou qualquer outro que julgue adequado. Espere o tempo que for necessário até a situação acalmar e a água baixar. Caso não tenha essa opção, e você está preso no trânsito durante a chuva forte, evite encarar ruas e avenidas com bolsões d’água.

O jornalista Marcellus Leitão, colunista de automóveis do Combustível Legal, lembra que além do risco de perder o carro na chuva, a preservação da vida é o que há de mais importante neste momento. “O risco extremo da enchente é você tentar atravessar uma região que possui um canal e morrer afogado. O risco pessoal é imenso, não apenas o patrimonial”, reforça o especialista.

Sendo assim, confira as recomendações a seguir:

1) Fique alerta e bem informado: o rádio é um aliado importante nesses momentos. Muitas emissoras informam em tempo real como estão as ruas das cidades. O Twitter também é uma ferramenta que pode ajudar, além de grupos do Facebook criados por localidade (participe dos grupos do seu bairro, por exemplo). Informado em tempo real sobre os pontos mais críticos da cidade, procure evitá-los.

2) Profundidade dos bolsões: caso você passe por alguma via alagada, tenha certeza da profundidade da água. Você pode observar os veículos maiores que estão passando, como os ônibus, por exemplo, para ter uma ideia. Mas atenção: bolsões podem esconder bueiros abertos, o que é um perigo ainda maior para motociclistas.

3) Não saia da primeira marcha: nunca entre com muita velocidade em uma área alagada, com risco de aquaplanagem, que é quando o carro, ou moto, perde o contato com o asfalto, deslizando sobre a camada de água. Nessas situações, engate a primeira marcha e mantenha uma aceleração constante.

4) Nunca deixe o carro morrer: seu carro não pode morrer, essa é a oportunidade de a água entrar no motor. Caso ocorra, pode gerar um grande problema chamado calço hidráulico. Ele acontece quando a água entra pelo escapamento e invade a câmara de combustão.

5) Carros automáticos: caso o seu carro automático tenha a opção manual, opte por ela. Assim, você garante que seu veículo estará sempre em primeira marcha.

6) Esqueça o ar-condicionado: o ar usa a potência do motor para resfriar o ambiente. Ele desligado, você usa o motor apenas para fazer o veículo andar.

7) Ao sair do bolsão, teste os freios: ao passar por uma área alagada, os freios ficam molhados. Ao sair desta situação freie levemente. Isso ajuda a tirar a umidade e evita problemas mais na frente.

Verifique cuidadosamente seu veículo após uma inundação

Caso você tenha passado por alguma enchente, é importante ficar atento e verificar se o seu veículo foi impactado pela água. O primeiro passo é checar o motor. Abra o capô e verifique se entrou água no filtro de ar. Caso ele esteja encharcado, existe grande possibilidade de a água ter entrado em partes importantes. Nessa situação, o ideal é levar o carro, em um guincho, até uma assistência especializada. Se não houver prejuízos maiores, apenas troque o óleo do motor. Por outro lado, se o veículo não funcionar, o motor pode ter travado e você vai precisar de reparos mais profundos.

Somado a isso, Marcellus lembra que a elétrica do carro é extremamente sensível a inundações. “As partes mais vulneráveis em uma enchente são as elétricas. Dependendo do carro, fica muito caro consertar e pode ser perda total. Se o carro apenas molhou por dentro, existem empresas que fazem essa higienização. Mas lembrando que este serviço não é barato”, comentou o jornalista.

Independente da situação, caso haja necessidade, é essencial ter em mãos números de emergência importantes para acionar, como o da Defesa Civil (199) e do Corpo de Bombeiros (193).