Motor

Veja 20 vícios de direção que o farão repensar a forma de dirigir e economizar mais

Publicado em 01/11/2019 por Antonio Carlos Teixeira

Acelerar o carro demais sem necessidade; ultrapassar o limite de passageiros, ou de peso suportado pelo veículo; descer ladeiras com o carro em ponto morto; deixar o pé em cima da embreagem enquanto dirige… O que parece comum para muitas pessoas pode, na verdade, esconder maus hábitos ao volante. Para abordar o assunto, o Combustível Legal levantou 20 vícios de direção e perguntou ao especialista Camilo Adas, conselheiro para tecnologia da Sociedade dos Engenheiros Automotivos (SAE Brasil), o que pode ou não pode. Confira a seguir!

 1) Acelerar o carro demais sem necessidade

Aumenta o consumo de combustível e emite CO2 e outros gases desnecessariamente.

 

2) Ultrapassar o limite de passageiros, ou o peso suportado pelo veículo

Dependendo da sobrecarga, interfere na segurança dinâmica do veículo, acelera o desgaste da suspensão e pneus e pode gerar quebra abrupta dos componentes da suspensão.

 

3) Ligar o carro de deixá-lo esquentando

Não é preciso. Era comum em motores carburados para atingir o desempenho adequado. Nos motores eletrônicos, não é necessário.

 

4) Descer ladeiras com o carro em ponto morto

Aumenta o desgaste do freio desnecessariamente, pode levar os materiais de atrito ao sobreaquecimento e consequente perda de eficiência.

 

5) Deixar o pé em cima da embreagem enquanto dirige

Pode gerar desgaste desnecessário da embreagem.

 

6) Usar a aceleração e a embreagem para segurar o veículo em subidas

Desgaste desnecessário de embreagem. Gera aumento de consumo de combustível e de emissão de gases.

 

7) Acelerar o carro antes de desligá-lo

É uma prática inútil que gera aumento do consumo de combustível e emissão desnecessária de gases no escapamento.

 

8) Colocar óleo além do nível necessário

Gasto desnecessário e pode prejudicar o fluxo do fluído.

 

9) Andar constantemente com o nível de combustível do tanque na reserva

Se o combustível for de boa qualidade, conforme norma, não é um problema grave, mas não é recomendado. Parar o carro em local indevido, por falta de combustível pode gerar acidentes e é passível de multa.

 

10) Circular com o freio de mão do veículo engatado

Desgaste do material de atrito. Risco de perda da eficiência por sobreaquecimento e, no limite, risco de incêndio.

 

11) Efetuar arrancadas e reduzidas extremas

Desgaste do freio, diminuição da vida útil de alguns componentes do motor, gasto desnecessário de combustível e aumento de emissão de gases.

 

12) Descansar a mão em cima do câmbio

Pode tirar a folga dos sincronizados, acelerando o desgaste de alguns componentes do câmbio.

 

13) Passar de lado em lombadas ou valetas

Dependendo da altura da lombada e da velocidade de tráfego, pode evitar raspar o fundo do veículo no chão.

 

14) Apoiar o pneu em cima da guia da calçada

Se o desnível não for grande demais, se não subir ou descer bruscamente, não é problema.

 

15) Estacionar com as rodas encostadas na guia da calçada

O pneu normalmente não é projetado para impactos laterais. Dependendo do ponto de apoio, pode inutilizar o pneu.

 

16) Frear bruscamente ao passar por buracos

Há várias considerações. Depende da velocidade, se está trafegando na reta ou na curva. Em linhas gerais, não frear até que as rodas travem, e não cair no buraco com o freio acionado.

 

17) Dirigir com apenas uma mão ao volante

Não é recomendado se esse ato for realizado por muito tempo durante a direção, devido à assimetria da força no volante.

 

18) Pisar na embreagem com o carro em movimento

Não é grave, mas pode acelerar o desgaste.

 

19) Dirigir com o braço fora, ou apoiado na janela do carro

Prática insegura e até perigosa.

 

20) Fazer o carro “pegar no tranco”

Uma ou outra vez, em caso de necessidade, não é problema, mas é preciso escolher a marcha certa. Porém, pode danificar vários componentes do veículo se o tranco for muito forte.

Veja também: