Carro parado na garagem? Veja o tempo que a gasolina pode ficar no tanque - Combustível Legal
Motor

Carro parado na garagem? Veja o tempo que a gasolina pode ficar no tanque

Publicado em 14/11/2018 por admin

Engana-se quem acha que não há problemas em deixar o carro parado com o tanque cheio. O natural desgaste do combustível pode levar a inúmeras dores de cabeça, onde trocar a gasolina nada vai fazer para salvar seu automóvel. Antonio Alexandre Ferreira, consultor sênior da Petrobras Distribuidora, é quem explica.

“A grande questão é a oxidação. Se passar muito tempo, pode haver formação de borra, o que vai levar ao mal funcionamento do motor. Ele não vai queimar da maneira que deveria”. Com base nisso, a recomendação é uma só: deve-se antes esgotar totalmente o tanque. Combustível é feito para você usar. O recomendado é não passar mais de três meses com ele.

No caso de não haver opção para o proprietário, Antonio recomenda ainda o uso de combustíveis com altas estabilidades de oxidação, como os combustíveis premium comercializados nos postos de gasolina. “A estabilidade de oxidação é muito alta. De modo geral, você consegue esperar até mais de seis meses, talvez um ano, com um combustível de alta qualidade no tanque.”

Outras preocupações fora o combustível

Mas não é apenas com o combustível que o motorista deve se preocupar. O óleo lubrificante é outro item de suma importância. Apesar do seu período de validade ser, de fato, indeterminado, sobretudo quando exposto às condições ideais de temperatura, sua correta manutenção é vital para a manutenção do carro.

“No momento em que ele entra no bloco do motor, o contato com as suas paredes metálicas já desencadeia a reação de alguns dos seus aditivos. O óleo já começa a degradar, mesmo você não utilizando o veículo. Então, a recomendação é que você faça uma troca periódica desse óleo, não ultrapassando um ano.”

A preocupação com a temperatura, aliás, é outra questão para o proprietário, explica Antonio. Uma vez que a taxa de oxidação da gasolina é menor que a do óleo, ela acaba sofrendo mais seus efeitos. Porém, isso não o impede de igualmente ser afetado pelo clima. “Se você mantém o veículo num ambiente mais frio, sofrerá uma oxidação menor. Já num ambiente mais quente, uma oxidação maior. Umidade também é outro problema. Quanto mais tiver, pior”.