Comércio Irregular

Empresas investem em programas de controle de qualidade e consumidor é quem ganha

Publicado em 18/02/2019 por Alessandra de Paula

Na hora de abastecer o carro, é fundamental optar por postos de confiança. Mas, como vamos saber se a gasolina ou o etanol que estão botando em nosso veículo são realmente bons? Grandes empresas, como BR Distribuidora, Ipiranga e Raízen (licenciada da marca Shell no Brasil), realizam um monitoramento rigoroso dos produtos, tudo para garantir a segurança do consumidor e cumprir as especificações da ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis).

O controle de qualidade já faz parte da rotina das empresas. Técnicos especializados em laboratórios móveis fazem visitas aos postos da BR, Ipiranga e Shell, onde realizam diversos testes. De acordo com Ricardo França Nunes de Rocha, coordenador técnico de combustíveis da Ipiranga, as visitas são aleatórias e sempre realizadas sem agendamento, justamente para contar com o efeito surpresa.

“Seguimos a Resolução ANP 09/2007, que trata do controle da qualidade do combustível automotivo líquido adquirido pelo revendedor varejista para comercialização. Além disso, realizamos testes como teor de biodiesel no diesel [De acordo com a ANP, o percentual de biodiesel adicionado ao diesel deve ser de 10%]; pH do etanol [O etanol é considerado conforme se o pH estiver entre 6,0 e 8,0. Fora da especificação, o etanol pode causar corrosão nas peças do carro]; e ponto de fulgor do diesel [Ponto de fulgor é a menor temperatura na qual um combustível libera vapor em quantidade suficiente para formar uma mistura inflamável por uma fonte externa de calor]”, explica o coordenador.

Mais agilidade na detecção e solução de problemas

O programa De Olho no Combustível, realizado pela BR, conta com mais de 40 laboratórios móveis, que visitam postos em todo o território nacional. Ana Cláudia Chopard Bonilauri, gerente de Marketing e Desempenho de Varejo da Petrobras Distribuidora, explica que, além de monitorar a qualidade dos combustíveis comercializados, os técnicos capacitam os profissionais de cada posto para manter a excelência dos produtos.

“Antes mesmo de sair da base da distribuidora, o combustível passa por todos os testes necessários para garantir que as especificações da ANP estão sendo atendidas. É importante abastecer em postos de confiança porque, lamentavelmente, ainda existem maus empresários que buscam ganhar dinheiro fácil por meio da adulteração de combustíveis, sonegação de impostos e variação volumétrica negativa, causando sérios danos ao consumidor”, ressalta a gerente.

Caso se perceba alguma variação no produto, é muito mais rápido detectar o problema e a fonte causadora em postos que investem em controle de qualidade, explica Gilberto Pose, coordenador de Produtos da Raízen. Ele destaca que a Raízen mantém uma política de qualidade abrangente, que visa a reforçar e a propagar as boas práticas adotadas nos terminais de distribuição da empresa.

“Os testes de qualidade são contínuos para garantir o teor dos combustíveis comercializados, adotando práticas como coleta de amostras dos tanques de armazenagens. Temos também o Dia da Qualidade, quando laboratórios móveis visitam os postos, verificando e validando as especificações determinadas para os combustíveis. A Raízen utiliza equipamentos de medição, como termômetros, densímetros, condutivímetros e pHmetros para verificar a qualidade dos produtos comercializados e atestar a conformidade dos combustíveis presentes nos mais de 6.400 postos da marca Shell. Garantir a qualidade dos produtos é nossa prioridade”, completa Pose.